O Movimento Estudantil da Agronomia no Brasil iniciou-se na década de 1950. Em 1951, os estudantes de Agronomia e Veterinária criaram a União dos Estudantes de Agronomia e Veterinária do Brasil (UEAVB) na qual realizaram em conjunto os Congressos Nacionais dos Estudantes de Agronomia e Veterinária até 1953. Em 1954 realizou-se o primeiro congresso organizado somente pelos estudantes de agronomia, denominado I Congresso Brasileiro de Estudantes de Agronomia (CBEA). No II CBEA, em 1955, criou-se o Diretório Central dos Estudantes de Agronomia do Brasil (DCEAB). Em seus primeiros congressos, os estudantes realizavam atividades de integração cultural, esportiva, com espaços para a apresentação e discussão de trabalhos científicos, além de espaços de discussões de temas relacionadas à qualidade do ensino agrícola, reforma agrária, entre outros.

 

Em 1968, durante a Ditadura Militar, o Diretório Central dos Estudantes de Agronomia do Brasil (DCEAB), a União Nacional dos Estudantes (UNE) e demais Movimentos Sociais Populares, entraram na clandestinidade, devido à promulgação do Ato Institucional Nº 5 (AI – 5), que proibia a reunião de pessoas para fins políticos. As atividades realizadas pela organização dos estudantes de agronomia foram parcialmente interrompidas entre os anos de 1968 e 1971, ocorrendo somente encontros escondidos entre os estudantes, devido à forte repressão militar. Nesse mesmo período, ocorreu a prisão e tortura de lideranças estudantis, além do roubo e desaparecimento de arquivos históricos.

 

No ano de 1972, realizou-se o 15º Congresso Nacional dos Estudantes de Agronomia (CONEA) em Santa Maria/RS, na qual o movimento estudantil de Agronomia recupera sua organização e articulação nacional, através da fundação da Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil (FEAB). Os temas que centralizaram os debates da FEAB após o final da década de 1970 e início dos anos 1980 foram principalmente sobre agricultura alternativa, iniciação científica, currículo e formação profissional, mantendo continuamente em seus congressos os fóruns esportivos e culturais.

 

Desde sua fundação, a FEAB foi protagonista de diversas iniciativas, as quais contribuíram significativamente para a formação de profissionais de agronomia e para a nossa profissão, como o fim da Lei do Boi que oferecia cota para filhos de fazendeiros nas universidades; o desenvolvimento e consolidação do Currículo Mínimo Nacional, e a criação do Receituário Agronômico.

"FEAB é a entidade que organiza e articula os estudantes de agronomia do Brasil ,

trazendo algumas reflexões em relação à sua formação profissional."

A Federação de Estudantes de Agronomia do Brasil - FEAB, ressurgiu em Alagoas após a participação de dois estudantes de Agronomia da UFAL dos Campi Maceió e Arapiraca no 56º CONEA - Campos dos Goytacazes/RJ. Ao retornarem, percebeu-se a necessidade de reativar o Grupo Agroecológico - GAC, e conquistar a direção o Centro Acadêmico.

 

Participamos ativamente da grande maioria dos espaços da organizados pela Federação, nos fizemos presente no XIV ERA NE - realizado no município de Mossoró/RN com 09 estudantes de ambos os campus citados anteriormente, no Seminário de Construção do XV ERA NE de Bananeiras/PB com 03 estudantes, do XV - ERA Bananeiras/PB com 48 alunos dos mais diversos cursos, no 58º CONEA em Florianópolis/SC com 04 alunos, no Seminário de Construção do 59º CONEA na cidade de Fortaleza/CE, com a participação de 05 estudantes, no Seminário de Construção do IV ERA NE em Recife/PE com a representação de 06 estudantes, no IV EREA Recife com a composição de 80 estudantes em nossa delegação e no 59º CONEA – Fortaleza indo 20 estudantes.

 

Contamos com o apoio dos demais Grupos de Agroecologia do estado, como o Núcleo de Estudos Maragogiense de Agroecologia - NEMA, do Instituto Federal de Alagoas Campus Maragogi/AL, do Grupo Agroecológico Zumbi - GRAZ, do Instituto Federal de Alagoas Campus Murici/AL, do Grupo Agroecológico Craibeiras - GAC, do Centro de Ciências Agrárias/UFAL e da Rede de Estudantes de Agroecologia de Alagoas - REAL, também de nossa unidade acadêmica. 

No ano de 2000, alguns estudantes de Agronomia da Universidade Federal de Alagoas, viajaram para o Encontro Regional de Agricultura Alternativa (ERAA) realizado em Fortaleza/CE, reiniciando uma discussão antiga dentro do Centro de Ciências Agrárias (CECA/UFAL) sobre o modelo de agricultura vigente no Brasil e, principalmente no Estado de Alagoas. Em 2002, os estudantes participaram do VII Encontro Regional de Agroecologia realizado em Areias/PB, na tentativa sem sucesso de dar consistência na construção do grupo. Um ano depois, mantinha-se ainda uma chama acesa dentro do CECA/UFAL da necessidade de um grupo agroecológico e, para tanto, fizeram o I Seminário sobre Agroecologia com a presença de algumas entidades de apoio (MST/AL, SINTUFAL, CPT/AL, DCE/UFAL e a nossa FEAB), causando um marco na história de nosso Centro e que se concretizou com a formulação e aprovação de uma carta princípio, formando e estruturando, o então Grupo Agroecológico Craibeiras com o lema: Nascemos para Construir.

Centro de Ciências Agrárias - Universidade Federal de Alagoas

BR 104, s/n, Km 85 - Zona Rural - CEP: 57100-000, Rio Largo/AL 

  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social